PLANETA MOBILE

Olhar para o ambiente mobile e não fazer uma analogia com a Web nos últimos 10 anos, é praticamente impossível.

Inúmeras empresas, fragmentações quase que impossíveis de se entender, que deixa muita gente no mínimo apreensiva com tanta novidade num espaço de tempo tão curto. O fato é que,assim como ocorreu na WEB apenas poucas dessas empresas sobreviverão, outras farão fusões buscando agregar uma melhor oferta combinada para os clientes.

Não bastasse a selvageria no setor da telefonia geral, agora também na monetização móvel ! Preparem-se estamos vendo apenas a ponta do Iceberg.

Encontro e converso com publishers móveis que estão no meio desta confusão cercados por infinitas opções disponíveis,algumas grandes, a maioria não, de todo o cenário global de monetização. Eles são constantemente bombardeados com ofertas e promessas, sugestão de troca de plataforma de anúncios, entrega de “anúncios personalizados”, eCPMs que prometem transformar qualquer negócio móvel em uma mina de ouro. O objetivo de qualquer Gestor é, como esperado, tomar a melhor decisão para a sua / seu negócio, mantendo o controle, mantendo a qualidade e rendimento.

Sobrecarregado pela quantidade de opções surgindo como cogumelos depois da chuva, alguns Gestores recorrem a estratégias que impedem o seu potencial econômico a longo prazo, por pequenas vitórias a curto prazo.

Como falei no início do meu post – A HISTÓRIA SE REPETE ! ATENÇÃO !

A primeira imagem representa o universo envolvido na publicidade WEB, a segunda representa o atual ambiente Mobile.

Display-LUMAscape_2012-04-051

mobile

Os nomes se repetem em ambos os slides : Yeld Optimization, Agencies, DSPs,  exchanges, entre tantos outros.

O fato é que nenhum provedor único cobre todas as soluções, e nessa brincadeira, você passa parte do seu mais precioso tempo tentando entender, o que está faltando no seu negócio? As soluções feitas em casa passam por tentar algumas redes de anúncios principais, procurando de alguma forma mediar essas redes e em seguida adicionar outras redes RTB (sim, vá se acostumando com um mundo de siglas), nesse caso do RTB enviando parâmetros para re-segmentação (??), passando por yield management, moeda virtual, etc…

Enquanto as equipes trabalham arduamente nessa gestão, a empresa é continuamente abordada por vendedores de plataformas, que se colocam como a solução para esse modelo , reduzindo custos operacionais e melhorando sua performance.

Entender toda essa logística in house é tão complexo e parece tão absurdo que decisões acabam sendo tomadas pela total falta de conhecimento dos reais impactos que poderão ocorrer em alguns anos, e que já acontecem em alguns mercados.

Vamos então para o mais simples, e compramos o sonho do curto prazo, lembrando claro que a urgência da monetização é aqui hoje e agora ! Certo ? Errado !! Não acredito em soluções de curto prazo, como se o amanhã não existisse.

Ao entregar o SEU CLIENTE para as redes, você dá de mão beijada todo o conhecimento do SEU NEGÓCIO. Todo o controle de quem ele é, onde ele está, qual o seu hábito de navegação, o que ele busca inclusive no seu portal, passam a não ser mais do seu controle e conhecimento.

O fato de você extrair com sistemas de medição automático relatórios em uma base diária , não lhe traz de volta o comportamento do seu cliente / usuário.

Não sou contra o que existe como ferramenta, cada uma delas tem sua aplicação, sou contra o modelo de simplificar por desconhecer, destruindo com isso um negócio que a longo prazo perderá sua força de negociação.

Maximizar receita SIM, perder controle sobre o seu mais exclusivo e único núcleo ativo que o cliente, NÃO.

Então, qual seria a solução ?
Acho que a turma inserida no mobile deveria buscar um pouco dessa historia recente que aconteceu com a Web, já que o que mudou foi apenas a plataforma, e com isso minimizar o seu caminho. Trazer gente nova com esse expertise é uma boa tomada de decisão. Também vejo com bons olhos a busca de uma plataforma que atenda suas necessidades tanto operacionais quanto corporativas, parcerias para estoques não premium, ter um mix de ferramentas de serviço e gestão , tanto automático quanto manual, mantendo principalmente o controle sobre a qualidade do anúncio e do anunciante. Contar com profissionais que conheçam todos os provedores de anúncios de dentro para fora. Por fim, não fugir do conhecimento! Se você faz parte dessa indústria e quer continuar nela, entenda, estude, ouça com atenção os que os técnicos e especialistas têm a dizer, capacite toda a equipe para que haja um maior senso crítico sobre tudo que lhe é apresentado e decida com consciência.

Sugiro a leitura do meu post – Operação Digital- CONHEÇA UM POUCO MAIS DESSE UNIVERSO como complemento dessa leitura.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s